Análise: Dagashi Kashi (Episódio 01)

ANÁLISE: DAGASHI KASHI (EPISÓDIO 01)

Olá para vocês, pessoal do Fênix no Sekai. Aqui é o Diego Felipe e essa será minha análise do primeiro episódio do mais recente anime a adaptar um mangá de Weekly Shonen Sunday: Dagashi Kashi, que estreou em 07 de janeiro (ou seja, quinta-feira).
Vale lembrar que o mangá de Dagashi Kashi é publicado na Weekly Shonen Sunday desde junho de 2014, já tendo quatro volumes lançados. Trata-se de um gag mangá com menos páginas do que a maioria dos mangás do plantel, o que explica a baixa quantidade de volumes e o pouco material para o anime ser adaptado (terá 12 episódios).
Bem, sem mais delongas vamos à análise…

ATENÇÃO: Essa análise contém spoilers de cenas do primeiro episódio. Aos que não querem ler spoiler antes de verem a obra sugiro que assistam o primeiro episódio antes. Aos que já assistiram o episódio ou estão interessados em ler análise assim mesmo… Fiquem à vontade. 🙂

A ABERTURA

Para o princípio dessa análise vamos começar pela abertura do anime, que pode ser conferida em vídeo abaixo.

A abertura é bastante colorida e divertida, apresentando fundos de cores variadas e silhuetas dos personagens principais ao invés de apostar numa introdução inteiramente animada mostrando os personagens interagindo entre si. A música de abertura “Checkmate!?”, cantada pela cantora japonesa pop MICHI, também é bem simpática de se ouvir, combinando com o clima de humor do anime.

A abertura ainda apresenta alguns dos principais doces que serão apresentados ao longo do episódios ao passo que no fundo aparecem mais cenas do anime. Em suma, não chega a ser uma abertura marcante mas ela diverte pelo visual que (pelo menos a meu ver) remete a animes mais antigos.


O EPISÓDIO

Nesse episódio somos apresentados aos personagens principais, a começar pelo protagonista, Shikada Kokonotsu. Ele é filho de You Shikada, o proprietário da loja de doces Shikada, e mora no meio de uma cidadezinha rural.

O Sr. Shikada quer que seu filho seja o membro da 9ª geração da família a herdar a loja de doces mas o sonho de Kokonotsu é ser um mangaká, para desespero do dono da loja de doces. Por coincidência (ou não) o dublador de Kokonotsu é Atsushi Abe, o mesmo de Mashiro Moritaka de Bakuman.

Kokonotsu
Mais tarde aparece na loja uma garota espevitada de nome Hotaru Shidare. Ela vem da cidade grande e é filha do proprietário da Companhia Shidare, uma das maiores empresas de fabricação de doces do Japão. O sonho da garota é fazer da empresa a maior fabricante de doces no mundo.

Para isso ela tenta convocar o sr. Shikada (com quem comicamente interage bem até demais) para trabalhar em sua empresa. Ele se recusa porque pretende cuidar da loja, já que o filho não quer ser o seu sucessor. No entanto afirma que se Kokonotsu aceitar cuidar da loja e sucedê-lo ele pode ir trabalhar na empresa do pai de Shidare sem problemas.

Sem hesitar ou desistir de seu objetivo a garota decide ficar na cidadezinha rural e ajudar Kokonotsu a cuidar da loja de doces na tentativa de convencê-lo a herdar a loja. Mas o comportamento espevitado de Shidare vai agitar mais o cotidiano simples de Kokonotsu.

Saya

Após essa tomada de decisão de Hotaru somos apresentados a dois amigos de Kokonotsu, os gêmeos Tou e Saya. A família deles é proprietária do Café Endou, do qual Saya trabalha como atendente. Saya tem uma quedinha por Kokonotsu e é uma garota muito bondosa, embora seja difícil de ser encarada quando irritada. Já Tou é um cara descontraído e gosta de zoar a irmã e de se divertir.

Tou

Andando de bicicleta Saya acaba encontrando Hotaru caída na lama de uma plantação de arroz. Vendo-a toda suja ela a leva pra casa, onde permite que ela tome um banho e use suas roupas. Ainda que Saya não entenda muito bem a explicação de Hotaru sobre porque ela está na cidadezinha (vale lembrar que muitas vezes Hotaru insere elementos e analogias a jogos e mangás de luta) elas se tornam amigas.

Saya e Shidare

A ENDING

Eis a ending no vídeo abaixo:

A ending é bem simples: é um painel do Kokonotsu olhando para a televisão onde aparecem cenas do primeiro episódio do anime e ao fundo a música Hey! Calorie Queen!, na voz de Ayana Taketatsu, simplesmente a dubladora da Hotaru como já expliquei anteriormente. A música da ending é até divertida. O ponto negativo mesmo fica pra ending em si que, diferente da opening, não chega a ser tão interessante.

Na cena pós-ending vemos as simpáticas versões chibi de Saya e Hotaru dialogando. Inclusive Saya pergunta como é a pronúncia certa do título do anime (Daga Shikashi ou Dagashi Kashi?), não sendo respondida pela sua colega.

A ANÁLISE
O primeiro episódio mostrou-se bastante divertido e bem-animado para os limites do Estúdio Feel. A obra conseguiu adaptar fielmente o mangá e também manter o seu clima de humor, principalmente por meio das referências a animes e programas de sucesso no Japão, tais como Hajime no Ippo!, Saint Seiya, Power Rangers e Doraemon (principalmente no comercial dos chocolates Shidare apresentado por Hotaru).
Referência a Saint Seiya
A dublagem dos personagens também está muito boa, valendo destacar principalmente as performances de Ayana Taketatsu, que consegue passar no tom certo a personalidade maluquete da Hotaru, e do veterano consagrado Keiji Fujiwara, que rende boas risadas como o dublador do Sr. Shikada.

A animação também merece destaque: se por um lado o Estúdio Feel ainda não tem renome ou mesmo estrutura para fazer um anime grandioso por outro consegue não se prender a suas limitações para fazer de Dagashi Kashi um bom produto.

Melhor cena… ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Com cenas bem animadas (principalmente nas cenas de referências a animes e nas cenas que Hotaru faz analogias a jogos e mangás de battle shounens) resta avaliar o roteiro do anime: apesar do corte da cena do mangá que explica como Kokonotsu decidiu se tornar um mangaká, a adaptação do mangá não deixa a desejar e consegue cobrir uma boa quantidade de capítulos sem soar muito corrido, ou seja, o timing de adaptação é bem controlado.

…Ou não. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Outro ponto positivo é a interação de personagens e a forma cautelosa como são feitas as cenas de humor. Isto é, mesmo que em muitas cenas o humor de Dagashi seja algo que cause mais cenas de humor para os japoneses as piadas são bem inseridas no andamento do episódio, o que faz com que o roteiro não caminhe para o nonsense (no sentido de serem várias piadas desconexas atiradas ao público).

Bem, pessoal, essa foi mais a análise do primeiro episódio do anime de Dagashi Kashi. Até a próxima. 🙂