TOC #41 da Weekly Shonen Magazine (2015)

TOC #41 DA WEEKLY SHONEN MAGAZINE (2015)

Capa com a atriz Mirai Kiritani
Olá para vocês, pessoal do
Fênix no Sekai. Aqui é Diego Felipe e estou fazendo minha primeira análise de
TOC da Shonen Magazine.
As TOCs dessa revista não
costumam ser muito analisadas então espero que compreendam que ainda não dá pra
dispor de muitas informações das Table Of Contents dessa revista. Porém as TOCs
da Magazine tem vazado com frequência, o que facilita mais a análise. Bem, sem
mais delongas vou começar.
*Obs.: a letra “c” e o número representa o capítulo publicado na respectiva edição. Por exemplo:
– c130 = capítulo 130
Weekly Shonen Magazine # 41(09/09/2015)
Capa: Mirei Kiritani (atriz japonesa)
Days c119 (Páginas Colorida, 26 paginas, entrevista com Tomoaki Makino)
01. Fairy Tail c451
02. Real Account c46
Two Three c02 (41 paginas)
03. AKB49〜Renai Kinshi Jourei c245
04. Domestic na Kanojo c64
05. Area no Kishi c423
Desert Eagle c05
Yamada-kun to 7-nin no Majo c173 (Página Colorida, 25 paginas)
06. Seitokai Yakuindomo c343
07. Daiya no Ace Act II c04
08. Fuuka c77
09. Tsurezure Children c21
10. Nanatsu no Taizai c139
11. Ahiru no Sora c488
12. Hajime no Ippo c1112
13. Kamisama no Iutoori Ni c124
14. Komori-chan wa Yaruki wo Dase c47
15. Baby Steps c358
16. UQ Holder! c93
17. Masukomi c25
18. Acma:Game c119
19. Daigo Tokusou c09
Rupodama! c59

Ausente: Kindaichi Shounen no Jikenbo R c63 (Volta na TOC #42)
Weekly Shonen Magazine #42 (16/09/2015)
Capa: Sekai no Owari 
Color Pages: Fairy Tail (25 paginas), Kindaichi Shounen no Jikenbo R, Desert Eagle (também ganha Capítulo Duplo)
Capitulo Duplo: Masukomi
Contra capa estrelando o mangá “Days”
A capa da vez foi a atriz
japonesa Mirei Kiritani. É muito comum que as capas da Shonen Magazine sejam
predominadas por fotos de atrizes e idols e não por capas dos mangás como
ocorre na Weekly Shonen Jump. Aliás esse ano apenas 7 das capas da Shonen
Magazine foram destinadas aos mangás, tendo sido 1 capa pra Nanatsu, 1 capa pra
Yamada-kun, 2 capas pra Dia no Ace e 3 capas pra Fairy Tail. Ou seja, os quatro
principais mangás da line-up da Shonen Magazine.
Dos mangás não ranqueados
temos o one-shot Two Three. E também
o novato Desert Eagle, que foi
colocado num pré-rank animador. Porém a Shonen Magazine é uma caixinha de
surpresas e é preciso esperar por muito tempo pra saber se o mangá vai dar
mesmo certo na revista. E por último mas não menos importante está Rupodama!, o lanterninha das recentes
edições da Shonen Magazine. É um mangá que fecha a revista, assim como Isobe
Isobee Monogatari para a Weekly Shonen Jump.
Página Colorida: Days
Quanto às páginas coloridas,
quem ganhou a principal dessa vez foi o mangá Days, que mistura slice of life com futebol. É um mangá em situação
confortável na revista e que costuma ficar na metade de cima da tabela. Ainda
possui boas chances de ganhar um anime, pois tem uma boa frente de capítulos
pela frente. Nessa edição também saiu uma entrevista com o jogador de futebol
Tomoaki Makino, que atua pelo Urawa Red Diamonds.
O outro mangá a ganhar color
page foi Yamada-kun to 7-nin no Majo.
O mangá em um dos sucessos mais chamativos e recentes da revista, porém sua
adaptação em anime não foi bem-sucedida. Em apenas 12 episódios mais de 80
capítulos foram adaptados. Além disso, as vendas do anime não foram boas. O
mesmo vale para a audiência. Isso dificulta muito as chances de haver uma
segunda temporada. Ainda assim segue sendo uma das obras mais queridas da
Shonen Magazine.
Em primeiro lugar ficou nada
mais nada menos que Fairy Tail. É o
segundo mangá que mais vende na revista (400 mil cópias por volume) e, embora
essas mesmas vendas dos volumes estejam caindo o mangá segue sendo um fenômeno
e caça-níqueis da Shonen Magazine, com o anime em exibição e vários spin-offs
(até mesmo uma revista própria a obra ganhou). Em segundo lugar ficou Real Account. A obra ainda vende pouco
(por volta de 40k) e algumas vezes fica entre as cinco últimas posições da TOC.
Mas dessa vez o mangá deu o pulo do gato e ficou com a vice-liderança dessa
edição. A obra antes pertencia à Monthly Magazine mas foi transferida para a
revista semanal e conseguiu se estabilizar. É uma obra promissora e pode fazer
muito sucesso após um possível anime.
Entrevista com o jogador Tomoaki Makino
Em terceiro ficou AKB49: Renai Kinshi Jourei. A posição
do mangá foi fantástica, o mangá costuma não pegar posições tão boas. A obra
não chega a ser uma das mais chamativas da revista, mas conseguiu se
estabilizar na revista. Mas provavelmente não ganhará anime, uma vez que não
ganhou nenhum mesmo com 245 capítulos publicados. Provavelmente nenhum estúdio
se interessou em pegar o mangá para adaptação. Mas ainda assim o mangá parece
seguro na revista.
Em quarto ficou o ecchi
maduro Domestic na Kanojo. O mangá é
feito por Kei Sasuga, autora que lançou antes na Shonen Magazine o bem-sucedido
GE- Good Ending, que durou na revista entre agosto de 2009 e janeiro de 2013.
Domestic na Kanojo é uma obra que também ganhou uma posição muito alta para
seus padrões. Por sua temática mais madura geralmente o mangá costuma ficar
mais embaixo nas TOCs,  (umas vezes nas
últimas posições) e não tem grandes chances de ganhar anime, assim como ocorreu
com GE – Good Ending.
Em quinto lugar ficou o
mangá com a quarta maior quantidade de capítulos do atual plantel da Magazine
(423 no total), Area no Kishi, um
mangá de futebol que já chegou a ganhar anime pela Shin-Ei Animation em 2012. O
autor do mangá é Hiroaki Igano, aliás esse é o pseudônimo de Shin Kibayashi, um
homem de 50 anos e com várias obras lançadas em revistas da Kodansha (grupo
editorial da Shonen Magazine). Aliás ele, utilizando o pseudônimo de Seimaru
Amagi, também é o autor de Kindaichi
Shonen no Jikenbo R
, obra que vai voltar de um período de pausa na próxima
edição.
Em sexto ficou Seitokai Yakuindomo, um mangá de grande
sucesso que já teve duas temporadas de anime (uma lançada em 2010 e outra ano
passado, ou seja, 2014). Já teve 12 OVAs lançados e 2 foram anunciados
recentemente. A obra está mais do que segura na Shonen Magazine e não está
descartada uma possível nova temporada do anime no futuro (ou pelo menos mais
OVAs). Em sétimo ficou Daiya no Ace. O mangá está com um ótimo
anime em exibição e seu último volume vendeu mais de 300 mil cópias, um valor
maravilhoso para os padrões da revista. O mangá acaba de retornar de uma longa
pausa (que simbolizou o fim da primeiro 
ato do mangá). E parece que o segundo ato não vai deixar o mangá perder
destaque tão cedo.
Página Colorida: Yamada-kun to 7-nin no Majo
Em oitavo ficou Fuuka, mangá que costuma ficar no meio
da tabela pra baixo nas TOCs. O mangá é da autoria de Kouji Seo, autor
experiente de mangás que conseguiram se estabilizar na Shonen Magazine, como
Cross Over, Suzuka e Kimi no Iru Machi, sendo que as duas últimas citadas
chegaram a ganhar anime e são ótimas amostras do talento do autor para o ecchi.
Com Fuuka não é diferente.
Em nono lugar ficou o novato
Tsurezure Children, gag mangá 4-koma
que vem conquistando uma média de posições boas e parece estar se firmando na
revista (já ganhou até uma primeira posição esse ano duas vezes nas TOCs desse
ano). É bom ver um novato com chances de dar certo, pois a Shonen Magazine é
uma revista com muitas obras chamativas e tentar conseguir um lugar ao sol na
line-up não é fácil. (ainda que seja menos complicado do que tentar a sorte na
Weekly Shonen Jump).
Em décimo ficou simplesmente
o mangá que mais vende da Shonen Magazine (700 mil cópias por volume) e também
o melhor battle shounen da revista, Nanatsu
no Taizai
. O mangá continua firme e forte e teve uma bem-sucedida adaptação
em anime (isto é, teve uma ótima audiência). Mas graças a enorme quantidade de
capítulos adaptada pra anime (mais de 100) tão cedo não veremos uma possível
segunda temporada em anime.
Fechando o Top 10 ficou Ahiru no Sora, um dos melhores mangás de
esporte da Shonen Magazine (mas não o maior, e mais tarde será explicado o
porque). Com quase 500 capítulos o mangá está em uma montanha russa de posições
na TOC mas está muito longe de estar em situação de risco. Ao contrário, é uma
das principais obras da revista. O mangá ainda está merecendo um bom anime (o
autor recusou duas propostas por não concordar com o final filler), de
preferência um à altura do anime de Daiya no Ace.

 
Em décimo segundo está o
maior mangá de esportes da Shonen Magazine (e o que possui maior quantidade de
capítulos da revista), Hajime no Ippo.
O mangá é publicado desde 1989 e já possui 108 volumes, uma quantidade
absurdamente fantástica. E parece que o mangá ainda tem fôlego pra ir ainda
mais longe, pois o mangá ainda tem força demais na revista após 26 anos. Não
duvido que mais pra frente ganhe ao menos mais um OVA.

Página extra de Domestic na Kanojo
Em décimo terceiro está Kamisama no Iutoori Ni, a continuação
de Kamisama no Iutoori (ah, vá?!), mangá que foi publicado na Bessatsu Shonen
Magazine entre 2011 e 2012. O mangá, que é um thriller psicológico, tem sua
publicação na Shonen Magazine desde 2013 e já rendeu 13 volumes. É um mangá que
fica com enorme frequência no meio da tabela pra baixo (mas às vezes surpreende
estando na parte de cima). Apesar das posições não muito elevadas o mangá não
corre risco de ser cancelado, está bem seguro. 
Em décimo quarto, Komori-chan wa Yaruki, um gag mangá que
conquista posições relativamente baixas mas por ser um gag mangá talvez isso
não seja necessariamente um mal sinal. É um mangá recente (tem 47 capítulos). O
mangá há um bom tempo não fica no Top 10 da revista e às vezes fica entre os
últimos. Ainda não corre grandes riscos mas é preciso ver se voltará a
frequentar o Top 10 pra saber se terá mesmo vida longa.
Em décimo-quinto e abrindo o
grupo dos 5 piores ranqueados da edição está Baby Steps, mangá de tênis que segue fazendo sucesso na revista
após uma adaptação em duas temporadas em anime com uma animação razoável (mas
não a prova de críticas) do estúdio Pierrot. É a segunda vez seguida que o
mangá fica em décimo quinto, mas é um mangá com forte apoio editorial da Shonen
Magazine (ganhou página colorida na TOC #39). Portanto ainda vai durar um bom
tempo na revista.
Em décimo sexto ficou UQ Holder!, mangá que se passa no mesmo
universo da obra anterior do autor Ken Amatsu, Negima!, porém 80 anos depois. O
mangá há algumas TOCs atrás vinha tendo uma ótima sequência na parte de cima
das TOCs, mas deu uma pequena caída recentemente. Mas nada que desanime os fãs,
a obra deve voltar a pegar uma boa posição em breve. E também há um enorme potencial
pra UQ Holder! ganhar anime.
Página dos comentários dos autores
Em décimo sétimo ficou Masukomi. A posição pode ter parecido
baixa pra um novato (a obra tem só 25 capítulos), mas Masukomi é um gag mangá,
então geralmente tem costume de pegar posições mais baixas pelo menos em
algumas oportunidades. Curiosamente o mangá tem sido/vem sendo bem ranqueado: na
edição passada (TOC #40) o mangá pegou um primeiro lugar e que na edição a
seguir (TOC #42) vai ganhar um capítulo duplo.
Em décimo oitavo nada mais
nada menos que Acma: Game. Foi uma
posição muito baixa pra um mangá que costuma ficar muitas vezes no Top 10 e
raramente fica entre os cinco piores da edição. Mas é bem provável que na
próxima edição o mangá pegue uma boa posição. A obra tem 119 capítulos
publicados e tem bom potencial para anime mais pra frente (o que não quer dizer
que realmente vai ganhar, só pra constar).
E em décimo nono ficou um
novato: Daigo Tokusou. É um battle
shounen de pegada clássica. E começou com o pé esquerdo. Ainda mais lembrando
que o cancelado mais recente (DekoBoko Animation) pegou uma posição melhor no
primeiro ranking. Mas ainda é cedo pra cantar derrota antes da hora. É preciso
ver como serão as posições que a obra pegará mais pra frente. As TOCs da Shonen
Magazine, como foi explanado antes, são uma caixinha de surpresas. Além disso
ficou abaixo de um mangá estável, Acma: Game. Talvez isso não tenha sido algo
tão ruim. Mas de fato foi uma péssima estreia e é torcer pro mangá se
recuperar.
Prévia da TOC #42 da Weekly Shonen Magazine

Bem, essa foi a TOC #41 da
Weekly Shonen Magazine e minha primeira análise de uma TOC da revista. Devo
meus agradecimentos pelos dados coletados para: Siul, Victor Almeida, Jin,
Nagisa Shiota e Ivo (o dono do blog. Obrigado, chefe!). E até a próxima, com a
TOC #42. Lembrando que na TOC #43 estreia na revista En En no Shoubotai o mangá novo de Atsusho Okubo (autor de Soul
Eater).